Gosto muito de noivas clássicas e tradicionais.

Mas gosto também de detalhes diferentes que dizem respeito à própria noiva.

O buquê é um quesito em que a ousadia não fere os mais tradicionalistas e sou apaixonada por eles.

Diz a lenda…

Na Grécia Antiga, a noiva levava ramos de ervas e alho para afastar o mau olhado.

Na Idade Média, a noiva caminha até a igreja e recebia flores nesse trajeto.

Na Polônia o buquê recebia açúcar para que a noiva se mantivesse doce durante o casamento.

Com o tempo, os buquês ganharam sofisticação e flores as flores exóticas passaram a ser bem vistas.

Apesar do costume de jogar o buquê, muitas noivas preferem oferecer seu buquê no altar de sua santa de devoção.

Por que não dar asas à sua ousadia?